Jornal Mãe Peregrina

Jornal Mãe Peregrina 2015

contactbook32.png

Quem estiver presente no terço realizado por Raymundo e os Missionários do Coração Imaculado na Basílica de Lourdes todas as terças-feiras, será convidado a participar do sorteio que irá definir a pessoa que receberá a imagem de Nossa Senhora em sua casa naquela semana. O sorteio acontece logo após a oração do terço que tem início às 17h. Venha ser também mais um escolhido para esta visita da Mãe de Jesus, porque: quando a imagem chegar em sua casa tenha a certeza de que Nossa Senhora estará presente. A visita é realizada pelos integrantes da Confraria Angélica, que além de rezarem o terço, seguem um roteiro de orações ensinadas por Jesus, Maria, e os anjos Gabriel, Raphael e Uriel a Raymundo Lopes. Em dado momento pede-se alguns minutos de silêncio para que os da casa possam entrar em contato com a visita e peça a Maria o que desejam. A pessoa sorteada escolhe um dia da semana, das 8h às 18h, exceto final de semana e terças-feiras.

 Aprendam a rezar conosco, porque levamos a Mãe a sério.

Jornal Mãe Peregrina - Ano V - Nº 208 - 22 de dezembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano V - Nº 208 - 22 de dezembro de 2015
A transformação acontece agora; a revolução é agora e não amanhã.
– A cristandade não é um fato evidente que eu conheço, mas meus contatos com vocês são. A aparição é que gera a cristandade. Se eu não me transformo radicalmente, nunca poderá haver uma transformação da função essencial da aparição. Quando nos baseamos num sistema para transformar a cristandade, estamos apenas descartando o problema, porque uma aparição não pode transformar a pessoa.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano V - Nº 207 - 22 de dezembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano V - Nº 207 - 22 de dezembro de 2015
Lembrem-se das palavras de Yeshua, quando disse: Natal
– É uma festa cristã, que envolve problemas históricos insolúveis. Sabe-se hoje, com certeza absoluta, graças a pesquisas, que Yeshua não nasceu no dia 25 de dezembro, nem no ano indicado como o início da era cristã. Não obstante, a tradição religiosa consagrou a data escolhida para a celebração natalina. Por outro lado, há um fundamento para essa escolha, que de certa maneira supre a falta dos elementos históricos.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 206 - 15 de dezembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 206 - 15 de dezembro de 2015
Lembrem-se das palavras de Yeshua, quando disse: É maior ventura dar que receber.
– Outro princípio que parece igualmente impraticável será um homem idiota se deixar que eles sejam uma influência orientadora em sua vida. Um dia perguntei a um teólogo honesto: O Senhor estudou todo o panorama do progresso humano, quais as cabeças que se elevam acima do nível comum? Entre elas, qual a meia dúzia de seres humanos que merecem ser chamados grandes?Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 205 - 08 de dezembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 205 - 08 de dezembro de 2015
Miryam
– Quando o apóstolo João foi a Éfeso, ele levou Miryam, a mãe de Yeshua. Olhando da cruz, Yeshua disse a Miryam: "Mulher, eis o seu filho!" E disse a João: "Eis a sua mãe!" E daquela hora em diante, o discípulo João tomou-a para sua casa. Dizem que Miryam morreu, dizem que Ela foi levada diretamente para o Céu. Independente do modo que deixou a terra, o último lugar onde Ela foi vista viva foi em Éfeso. Até aí consta da história. Depois que Paulo e João pregaram em Éfeso, o culto à Diana mergulhou de vez.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 204 - 01 de dezembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 204 - 01 de dezembro de 2015
Solar de Yeshua
– Vós, Mãe do Divino Amor, solar de Yeshua, sois honrada na divindade. E vosso nome é honrado entre os nomes, honrada entre os anjos, vós sozinha. Grande também sois sozinha, ó Miryam de Yeshua, não comparada a vós, nenhuma outra é honrada e grande.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 203 - 24 de novembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 203 - 24 de novembro de 2015
Deus nos fala através de sonhos e sinais
– Nesta madrugada acordei de repente, bastante surpreso com o sonho que acabara de ter. Encontrava-me no interior de uma igreja muito bonita e limpa. O telhado era do tipo bem inclinado, com uma ligeira quebra nas partes laterais, e dele pendia um lustre enorme inteiramente iluminado. O piso de granito brilhava como um cristal, e os bancos eram de uma limpeza de chamar a atenção. Da porta central, larga e bonita, entrava a luz do sol da manhã, tão brilhante que ao bater no piso refletia no teto formando desenhos como um caleidoscópio. O altar-mor era composto de um ou dois pisos mais altos e com duas escadas, uma em cada lateral, chegando ao topo do altar. Podia-se, assim, subir ao altar de um lado e descer pelo outro.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 202 - 17 de novembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 202 - 17 de novembro de 2015
O retorno de Jesus está próximo Se a Igreja não o proclamar, os meios serão outros
– Nesta manhã, recebi um telefonema de um missionário me pedindo ajuda, porque não estava bem. Imediatamente, pedi a outro missionário que me acompanhasse à casa dele, e de lá o levamos a um hospital. À tarde, ele recebeu alta e o levamos para minha residência, para que não ficasse sozinho em sua casa. Depois, fui para o SIM. Voltei, por volta das 21 horas. Assim que todos se recolheram, entrei na Capela para rezar e pedir a Deus por ele. Rezava o Terço, quando uma aragem perfumada passou por mim. Fiquei atento e procurei andar na Capela, para ver e sentir o que estava acontecendo. Logo vi surgir sobre o piso uma nuvem, que se dirigiu à cadeira onde a doce e serena Senhora falara comigo antes da viagem a Roma. Fiquei observando-a, quando surgiu na cadeira um vulto, que percebi ser de Nossa Senhora, pois isto já havia acontecido anteriormente. Aproximei-me e perguntei: – A Senhora deseja falar comigo?Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 201 - 10 de novembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 201 - 10 de novembro de 2015
Degredados Filhos de Eva.
– Quando comecei a reza do Terço, em abril de 1992, era pároco da Basílica de Lourdes o padre João Megale. Durante a sua vida até a sua morte procurei ser seu amigo, independente se ele acreditava ou não em mim. Ele me perseguia, pois achava que eu tinha um plano para me enriquecer. Por várias vezes fechou-me a Basílica, restando-me a alternativa de rezar o Terço do lado de fora; deixava o interior da Basílica sem luz durante a reza do Terço, muitas vezes obrigando-nos ao uso de velas para não ficarmos totalmente no escuro, como acontecia no inverno, quando escurece mais cedo; marcou concertos para a hora do Terço; providenciou encontros com dom Serafim no intuito de me destruir e chegou ao cúmulo de programar um Terço, com o aval da Basílica, para ser rezado no mesmo dia após a Missa das 18 horas etc.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 200 - 03 de novembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 200 - 03 de novembro de 2015
Yeshua
– Yeshua é, como dizemos, multilateral, e todo o mundo vê o lado de Sua pessoa que mais lhe atrai. O médico pensa no grande mestre, cujo toque nunca falha ou que precedeu a ciência moderna no conhecimento da relação do espírito com a saúde. O teólogo estuda o Sermão da Montanha e maravilha-se de que verdades tão profundas pudessem ter sido expressas em palavras tão claras e simples.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 199 - 27 de outubro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 199 - 27 de outubro de 2015
– Noto, há dias, que pela madrugada vejo Maria Santíssima andando pelo pátio da Capela Magnificat e passando as mãos num vaso de samambaia, que se vê aos pés da fonte que se encontra na entrada. Acho isso estranho, mas aceito, como aceito tudo o que dela provém, sem perguntar nada; mas pensava: como Miryam está dando valor a uma samambaia?!Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 198 - 20 de outubro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 198 - 20 de outubro de 2015
O Sacramento do Matrimônio Cristão. A Família
– Deus nos lembra o propósito para o qual homem e mulher foram criados para coabitarem, dignamente, na fidelidade. Esta é a Sua vontade. O matrimônio cristão, fruto da união digna do homem e da mulher, onde floresce a família, é um ato de amor do Criador. Então, temos que entender que o que Deus uniu por amor, por sua própria natureza, somente a Ele é dado o direito da separação. Ele nos conhece por inteiro; e do fruto desta união, decidida pelo nosso livre-arbítrio de escolha, nascerá uma família sob nossa responsabilidade. O Criador tanto nos amou, que quis testemunhar esta união, nos formando à Sua imagem e semelhança e nos dando, com Sua misericórdia, a condição de amar.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 197 - 13 de outubro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 197 - 13 de outubro de 2015
23 anos da Medalha Missionária
– No dia 13 de outubro de 1992, nesta Basílica, durante a celebração de Missa em homenagem a Nossa Senhora de Fátima, 3 Anjos mostraram ao Raymundo a cena retratada na Medalha Missionária – o 1º de 3 Selos que lhe seriam abertos e que compõem toda a Obra da Bela e Serena Senhora neste último século, dizendo-lhe:Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 196 - 06 de outubro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 196 - 06 de outubro de 2015
Acredito que seja!
– Infelizmente, uma verdade que muitas pessoas de hoje, embora creiam em Deus, não sentem necessidade de falar-lhe ou sequer de rezar. Sei que nos dizem que o bom pensamento que temos é por si mesmo uma reza, que tudo o que fazemos impregnado de bondade ou amor ao próximo é a nossa simples e sincera maneira de dizer a Deus que somos reconhecidos pelo bem que d'Ele recebemos. Tudo isto é verdade, mas não creio que baste, repetir as orações escritas por pessoas inspiradas tem seu valor.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 195 - 29 de setembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 195 - 29 de setembro de 2015
Setenta e dois
– Os setenta e dois foram ordenados por Jesus na tarde de sábado, 19 de novembro, no acampamento de Magadam, e Abner foi colocado à frente desses pregadores e instrutores do Evangelho. Esse corpo de setenta e dois era formado por Yeshua, Abner e onze dos antigos apóstolos de João. Por volta das duas horas, nessa tarde de sábado, entre pancadas de chuva, um grupo de crentes, ampliado com a chegada de Yeshua, a maioria do seu corpo de mensageiros, em um total de mais de quatrocentos, reuniu-se na margem do lago da Galileia para presenciar a ordenação dos setenta e dois. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 194 - 22 de setembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 194 - 15 de setembro de 2015
Sou um Anjo
– Hoje começou minha vida na terra. Meus pais ainda não o sabem. Sou menor que a semente de uma maçã, mas já sou humano. E, embora ainda não esteja formado, não sei se serei menina ou menino, se terei cabelos louros ou morenos e olhos negros ou azuis, mas sei que vou gostar de meus pais e do mundo que Deus permitiu que viesse. Já cresci um pouquinho, mas ainda sou demasiado pequeno para fazer qualquer coisa sozinho, mamãe faz tudo por mim. É engraçado que ela ainda não saiba que está me carregando e que sou um anjo, bem debaixo do seu coração, e alimentando-me com seu próprio sangue.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 193 - 15 de setembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 193 - 15 de setembro de 2015
Escute Miryam
– Quando eu era menino costumava imaginar, na igreja do Rosário, em Ubá, que a certa altura do futuro havia um momento mágico em que se passava a saber tudo de uma sabedoria que ficava em Deus. Desse ponto em diante a nossa vida espiritual seria mais fácil, não haveria mais dúvida, não haveria mais incerteza e se passava a saber tudo. Desse ponto em diante a vida espiritual seria fácil, não haveria mais dúvida, não haveria mais incerteza, em qualquer situação eu saberia exatamente como e o que fazer. Muitos anos se passaram e a única coisa que realmente descobri é que Yeshua e Miryam tinham certeza absoluta, e que a esse momento somente eles chegam, e as respostas tive o prazer de ouvi-las de MiryamContinue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 192 - 08 de setembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 192 - 08 de setembro de 2015
Degredados filhos de Eva
– Quando me refiro ao Terço, não quero dizer apenas troca de Ave-Marias, Pai-Nossos etc. entre vocês, estou pensando antes numa das mais altas manifestações de louvor à Bela e Serena Senhora, a capacidade de transformar Ave-Marias em linguagem, a faculdade de transformar abstrações em linguagem celeste, de transmitir imagens de um espírito a outro, a possibilidade de construir um céu numa experiência acolhedora. Em que consiste o Terço que rezamos? Em primeiro lugar, é essencialmente uma procura mútua da essência das coisas de Deus. É uma transmissão agradável, não um sumário ou coisas comuns. Miryam identificou corretamente o saber ouvir como um dos ingredientes vitais de qualquer oração.Quando estamos rezando e fazendo coisas ao mesmo tempo, o resultado não é oração ou conversa com Deus. Nada destrói mais uma oração do que o participante que usa da palavra por temor excessivo, ou um sacerdote que não crê na Missa, por demasiado orgulhoso, e que joga para vocês coisas vãs. Pobre de vocês, que têm pessoas que insistem em rezar além do ponto em que tem realmente algo mais a dizer. Para ter significado, uma reza do Terço deve se orientar num sentido geral. Não necessita ser arquitetado, mas deve ser grandiosamente mantido, conduzido por ideias celestes. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 191 - 01 de setembro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 191 - 01 de setembro de 2015
O Concílio Ecumênico Vaticano II foi o maior da história e talvez o mais significativo que já se realizou.
– Muito mais impressionante do que o esplendor de sua abertura são os alvos revolucionários, uma reforma e renovação completa da Igreja Católica Romana,que está afetandoa vida de milhões de católicos do mundo e também protestantes, evangélicos, Igrejas universais etc., isto é, toda a cristandade, separada há muito tempo. Procurou encontrar a unidade pela qual Yeshua, tão fervorosamente, implorou ao Pai celestial. Desde a reforma protestante nunca ninguém propôs um programa tão arrojado. O Concílio pode muito bem ser o acontecimento mais importante para o século XXI e até mesmo para o próximo. Independente do que o momentoso conclave possa pressagiar sobre o acordo entre as formas de crenças, ele encerou perspectivas incalculáveis de renovação da própria Igreja Romana, funcionando ainda segundo regras estabelecidas há quase 500 anos, no Concílio de Trento. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 190 - 25 de agosto de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 190 - 25 de agosto de 2015
Os Dias de Purificação e Trevas
– No dia 11 de fevereiro de 1995, Maria Santíssima revelou a Raymundo Lopes na igreja de São Bento, em Belo Horizonte: “Muito em breve o assento de Pedro estará a descoberto, quando então terão início todos esses acontecimentos¹. (...) Cada um de vocês, durante três dias, sentirá dentro da alma a sensação do afastamento do Senhor. Durante esses dias, nada dentro de vocês fluirá, nada verão do sol a iluminá-los, porque uma densa e pesada atmosfera estará a envolvê-los. Isto se dará independente de credo ou cultura, porque o Deus Criador de todas as coisas assim o deseja. Serão três dias de completa escuridão na alma de vocês. Antes disso, porém, o grande sinal será dado pelo Altíssimo, levando-os a uma profunda e dolorosa reflexão sobre todos os pecados cometidos, para que possam, purificados, entender o porquê dessas trevas da alma, e saírem dela prontos para encontrarem e identificarem a verdadeira luz de Cristo Jesus, durante as trevas da alma. Assim Deus o quer, assim se dará! Entretanto, peço que não temam, porque estarei a guiá-los, pois este continente está sob a minha proteção materna”. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 189 - 18 de agosto de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 189 - 18 de agosto de 2015
É Difícil um Rico entrar no Reino dos Céus (Mt 19,23-30)
– Este Evangelho é mais conhecido justamente por falar que é difícil um rico entrar no Reino dos Céus. Precisamos entender que riqueza é esta da qual Jesus está falando, pois vivemos num mundo da matéria, onde conhecemos o que vemos, pegamos, sentimos. Um mundo comandado pela razão que nos incita a determinadas situações, como segregações raciais, sociais, religiosas… e a divisões de bens. A vontade de Deus não é esta. Ele nos criou para que todos fôssemos iguais perante Ele e aos outros. Mas nós vivemos num reino que pertence ao príncipe deste mundo, aquele que Deus precipitou na terra. Portanto, somos "inquilinos" desse senhor, e, como vivemos em seu reino, somos induzidos a agir conforme suas regras. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 188 - 11 de agosto de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 188 - 11 de agosto de 2015
Assunta ao Céu
– A ideia da assunção corporal de Miryam encontra-se escrita, pela primeira vez, nos contos apócrifos, e tem sua importância como fundo de testemunho histórico dos séculos quinto e sexto a respeito da transição de Maria Santíssima. O primeiro escritor da Igreja que falou sobre a assunção corporal de Miryam ao Céu foi São Gregório de Tours, em 594, que resume aquilo que já estava amplamente divulgado pelos apócrifos. Depois, muitos outros escritores católicos falaram sobre a Assunção: Orígenes, Agostinho, Jerônimo, Teoteknos de Livias, em 600, Modesto de Jerusalém, em 700, Germano de Constantinopla, em 773, etc. Também a Igreja Católica oriental, no século VI. Em Roma, no século VII, a festa denominada DormitioMariae passou para Trânsito de Maria, depois para AssumptioMariae. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 187 - 04 de agosto de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 187 - 04 de agosto de 2015
Na Sinagoga
– Daniel? – Sim. – Podemos remarcar a reunião para as 20 horas? – Sim, podemos. – Estamos te esperando. Cheguei ao local, e me deram uma espécie de solidéu igualzinho aos que os cardeais usam, e me disseram: – Na frente do rabino, use isto! Eu trazia na bolsa a medalha de Nossa Senhora (Medalha Missionária); e Ela me disse: “Quando lhe pedirem que use isso (solidéu), peça a eles que usem a medalha. Foi para essa finalidade que reservei este momento!” Entrei e não deu outra, eles me disseram: – Você não está usando o kipot. Por favor, na frente do rabino, é praxe nossa o uso, faça o favor de colocá-lo. – Se ele colocar a medalha que tenho aqui, farei o mesmo. – respondi. – Deixe-me vê-la! – replicou. Mostrei, e eles me disseram:Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 185 - 21 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 185 - 21 de Julho de 2015
Um Francisco para América Latina
- Vivia-se no ano de 1207, na pequena cidade de Assis erguida na colina a 150 quilômetros ao norte de Roma, Pedro Bernardone. Rico comerciante de tecidos, tinha movido uma ação contra seu filho João, de 25 anos, conhecido como Francisco, acusando-o de ter-se apropriado de dinheiro. O rapaz, jovem franzino não muito simpático, admitia que de fato tinha vendido alguma mercadoria de seu pai, a fim de financiar consertos numa pequena igreja. No entanto, acrescentava que os responsáveis por esta igreja não tinham aceitado receber o dinheiro e que por isso ele o devolvia. Igualmente manifestou intenção de devolver as roupas que o seu pai lhe tinha dado e, ato contínuo, o jovem Francisco se despiu e ficou nu. O queixoso Pedro Bernardone, que tinha ganho a causa em tribunal, perdera o filho. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 184 - 14 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 184 - 14 de Julho de 2015
Um Francisco para América Latina
- Vivia-se no ano de 1207, na pequena cidade de Assis erguida na colina a 150 quilômetros ao norte de Roma, Pedro Bernardone. Rico comerciante de tecidos, tinha movido uma ação contra seu filho João, de 25 anos, conhecido como Francisco, acusando-o de ter-se apropriado de dinheiro. O rapaz, jovem franzino não muito simpático, admitia que de fato tinha vendido alguma mercadoria de seu pai, a fim de financiar consertos numa pequena igreja. No entanto, acrescentava que os responsáveis por esta igreja não tinham aceitado receber o dinheiro e que por isso ele o devolvia. Igualmente manifestou intenção de devolver as roupas que o seu pai lhe tinha dado e, ato contínuo, o jovem Francisco se despiu e ficou nu. O queixoso Pedro Bernardone, que tinha ganho a causa em tribunal, perdera o filho. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 184 - 14 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 184 - 14 de Julho de 2015
Um Francisco para América Latina
- Vivia-se no ano de 1207, na pequena cidade de Assis erguida na colina a 150 quilômetros ao norte de Roma, Pedro Bernardone. Rico comerciante de tecidos, tinha movido uma ação contra seu filho João, de 25 anos, conhecido como Francisco, acusando-o de ter-se apropriado de dinheiro. O rapaz, jovem franzino não muito simpático, admitia que de fato tinha vendido alguma mercadoria de seu pai, a fim de financiar consertos numa pequena igreja. No entanto, acrescentava que os responsáveis por esta igreja não tinham aceitado receber o dinheiro e que por isso ele o devolvia. Igualmente manifestou intenção de devolver as roupas que o seu pai lhe tinha dado e, ato contínuo, o jovem Francisco se despiu e ficou nu. O queixoso Pedro Bernardone, que tinha ganho a causa em tribunal, perdera o filho. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 183 - 07 de julho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 183 - 07 de Julho de 2015
Sinto a voz de Yeshua que me chama
- Preocupa-me muito que entendas essas coisas muito bem, pois estamos no limiar da presença de Yeshua entre vocês e me dou conta que vou deixar-te com minha assistência.Achas que perdi as rédeas do pensamento lógico durante todos estes anos desde que fui levada aos Céus? Noto que Cristo está aqui na terra, e também na Eucaristia, em todos aqueles que necessitam de ajuda e agora, que já sinto a voz de Yeshua que me chama do alto e me reclama a seu lado. Breve, temo deixar-te passando dificuldade sem meu amparo. Estarei com Yeshua, assim não estarei contigo na terra, por mais que eu vele por ti daqui do Céu.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 182 - 30 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 182 - 30 de Junho de 2015
São Pedro
- De acordo com uma tradição de 19 séculos, na colina Vaticano foi sepultado São Pedro. O nome Vaticano é de origem etrusca. Aulo Gellio diz que vem da palavra vaticanis, inspirada pela divindade que presidia o local ou, conforme Varrone, provém do deus Vaticanus. No ano 34 o imperador Calígula começou a construção de um circo,que foi concluída por Nero, e esse edifício se estendia onde hoje se encontra a Basílica. Nessas circunstâncias, São Pedro foi preso e crucificado de cabeça para baixo e sepultado em uma tumba próxima. Atraídos pela presença dos restos mortais do santo, os cristãos começaram o que se vê hoje. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 181 - 23 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 181 - 23 de Junho de 2015
Bendita
- Bendita és tu, ó Miryam, que dás o que é bom a quem te conhece realmente. Bendita és tu, ó Miryam, que és paciente para com nossas faltas e nos chama a te conhecer. Bendita és tu, ó Miryam, que desceste ao purgatório e fizeste chegar tua sabedoria às pessoas que te recusavam. Bendita és tu, ó Miryam, que desprezas os sacrifícios mundanos, mas aceitas de boa vontade as nossas súplicas. Bendita és tu, ó Miryam, que cooperas com aqueles que adoram ao Deus único, e colocas o mal a teus pés.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 180 - 16 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 180 - 16 de Junho de 2015
Sermão da Montanha
- No Sermão da Montanha, Yeshua ensinou os seus seguidores a manifestar o amor. O amor seria amar o teu semelhante como a ti próprio, e isso seria um preenchimento adequado da regra de ouro. O afeto, todavia, requer que tu ames os teus semelhantes mortais como Yeshua te ama. Yeshua ama a humanidade. Ele viveu neste mundo como uma personalidade de duas naturezas: a humana e a divina. Como Filho de Deus, Ele ama o homem, Ele é o Criador. Enquanto Filho do Homem, Yeshua ama os mortais como um irmão. Ele foi verdadeiramente um homem entre os homens. Yeshua não esperou que os seus seguidores realizassem uma manifestação impossível de amor, mas Ele esperou que eles se esforçassem para ser como Deus, para serem perfeitos como o Pai no Céu é perfeito, que eles pudessem começar a ver o homem como Deus vê as suas criaturas e que, portanto, pudessem começar a amar os homens como Deus os ama, demonstrando o começo de um afeto. Durante essas exortações aos discípulos, Yeshua buscou revelar esse novo conceito do amor, do modo como Ele se relaciona a algumas atitudes emocionais preocupadas em fazer numerosos ajustamentos sociais para o meio ambiente.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 179 - 9 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 179 - 9 de Junho de 2015
Testemunhei a criação
- Ainda é escuro, antes do alvorecer. Estou de pé há 15 minutos, tomei uma xícara de café frio que a Bá deixou de ontem e saí para olhar, aspirar e escutar.A noite começa a diluir-se e as estrelas vão se empalidecendo. No céu há clarão pré-auroral, que é menos luz do que promessa da aproximação da luz. A Yonah fazia um ruído, mas quando me levantei ela ficou em silêncio. Os dois cães são os únicos audíveis. A grama está cheia de orvalho. Um sopro de vento sussurra nas folhas e gira em torno de mim, torna-se parte da minha respiração. Yonah faz barulho hesitante, como para perguntar quem mais está acordado.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 178 - 2 de junho de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 178 - 2 de Junho de 2015
O espinho da coroa de Yeshua
- Na catedral da cidade italiana de Andria venera-se um espinho da coroa colocada pelos algozes sobre a fronte de Yeshua.Conhecida pelo nome de La Sacra Spina, essa preciosa relíquia sangra toda vez que a Sexta-feira Santa coincide com a festa da Encarnação, em 25 de março. O prodigioso fato ocorreu em 2005 e foi constatado pelo bispo Dom Raffaele, numerosos fiéis e uma comissão extraordinária de 27 fotógrafos.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 177 - 26 de Maio de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 177 - 26 de Maio de 2015
O que é o Batismo
- É o sacramento da iniciação cristã. “Pelo Batismo tornamo-nos membros de Cristo, somos incorporados à Igreja e feitos participantes de sua missão. Este sacramento é também chamado 'o banho da regeneração e da renovação' no Espírito Santo (Tt 3,5), pois ele significa e realiza este nascimento a partir da água e do Espírito. Este banho é chamado iluminação, porque aqueles que recebem este ensinamento (catequético) têm o espírito iluminado… e se convertem em filhos da Luz (Jo 1,9 e 1Ts 5,51). O Batismo é de maneira especial o sacramento da fé, uma vez que é a entrada sacramental na vida de fé. Ele é o mais belo e o mais magnífico dom de Deus. O Batismo é necessário, para a salvação, para aqueles aos quais o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir este sacramento… Todo homem que, desconhecendo o Evangelho de Cristo e a sua Igreja, procura a verdade e pratica a vontade de Deus segundo o seu conhecimento dela, pode ser salvo. Quanto às crianças mortas sem Batismo, a Igreja só pode confiá-las à misericórdia de Deus, como o faz no rito das exéquias por elas.” (CIC - 1213, 1215, 1216, 1236, 1257, 1260 e 1261) Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 176 - 19 de Maio de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 176 - 19 de Maio de 2015
Ordem
- O sacramento da Ordem concede a autoridade para exercer funções e ministérios eclesiásticos que se referem ao culto de Deus e à salvação das almas. É dividido em três graus: O Episcopado: Confere a plenitude da ordem e torna o candidato legítimo sucessor dos apóstolos e lhe é confiado os ofícios de ensinar, santificar e reger. O Presbiterado: Configura o candidato ao Cristo sacerdote e bom pastor. É capaz de agir em nome de Cristo cabeça e ministrar o culto divino.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 175 - 12 de Maio de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 175 - 12 de Maio de 2015
Matrimônio
- a união de Jesus com a sua Igreja - Meus queridos e abençoados filhos! Tenho insistido em semear a Palavra de Deus, nestes tempos de muita incredulidade, e falo com intensidade para que, pelo menos algumas de minhas mensagens caiam em algum oásis, neste deserto onde somente germina a descrença. Desta vez, enfoco a família, tema que considero primordial para o germinar das sementes da fé, da esperança e da caridade.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 174 - 05 de Maio de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 174 - 05 de Maio de 2015
Eucaristia
- É o sacramento culminante, que dá aos fiéis a oportunidade de receber o corpo e sangue de Jesus Cristo, em que se transformaram o pão e o vinho consagrados pelo sacerdote. Por isso deve ser a Hóstia ingerida lenta e respeitosamente. Para receber este sacramento, o fiel deve estar em “estado de graça”, ou seja, deve ter antes confessado os seus pecados e recebido o perdão Divino através do sacramento da Confissão ou Penitência. “Os fiéis observarão o jejum prescrito na sua Igreja (1 hora antes). A atitude corporal (gestos, roupa) há de traduzir o respeito, a solenidade, a alegria deste momento em que Cristo se torna nosso hóspede.” (CIC - 1387)Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 173 - 28 de Abril de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 173 - 28 de Abril de 2015
Páscoa
- Noto, há dias, que pela madrugada vejo Maria Santíssima andando pelo pátio da Capela Magnificat e passando as mãos num vaso de samambaia, que se vê aos pés da fonte que se encontra na entrada. Acho isso estranho, mas aceito, como aceito tudo o que dela provém, sem perguntar nada; mas pensava: como Miryam está dando valor a uma samambaia?! Ontem a cena se repetiu, mas eu tinha retirado o vaso do local para colocar-lhe adubo. Assim sendo, desci às pressas, quando fui interrompido pelos'meninos' (os três Anjinhos). Eles foram logo dizendo: – Não interrompa Miryam. – disse o de vermelho. – Não se interponha no caminho de Yeshua. – disse o de azul. – Escute Miryam. Noto, há dias, que pela madrugada vejo Maria Santíssima andando pelo pátio da Capela Magnificat e passando as mãos num vaso de samambaia, que se vê aos pés da fonte que se encontra na entrada. Acho isso estranho, mas aceito, como aceito tudo o que dela provém, sem perguntar nada; mas pensava: como Miryam está dando valor a uma samambaia?! Ontem a cena se repetiu, mas eu tinha retirado o vaso do local para colocar-lhe adubo. Assim sendo, desci às pressas, quando fui interrompido pelos'meninos' (os três Anjinhos). Eles foram logo dizendo: – Não interrompa Miryam. – disse o de vermelho. – Não se interponha no caminho de Yeshua. – disse o de azul. – Escute Miryam. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 172 - 21 de Abril de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 172 - 21 de Abril de 2015
Isto é a minha Igreja
- Hoje deu-se um dos encontros mais lindos entre Jesus e eu. Rezava diante do Sacrário, quando percebi uma força poderosa invadindo a Capela. Era como se algo imenso quisesse penetrar no pequeno recinto em que me encontrava. Algo crescia, crescia... Eu já não sabia como controlar a emoção. Mas não era assustador. Ao contrário, era bom estar ali, e me sentia protegido. Entretanto, me sentia literalmente “espremido” num canto, sem poder me mexer, devido ao enorme poder que, de repente, tomara conta da pequena Capela. Depois desta experiência, ainda um pouco descontrolado emocionalmente, comecei a escutar o pulsar ritmado de um coração, que vinha de dentro do Sacrário. Era como se todo o altar tivesse tomado a forma de um corpo, e o Sacrário fosse o coração. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 171 - 14 de Abril de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 171 - 14 de Abril de 2015
Tempo Pascal
- O que é a Páscoa? O Tempo Pascal é o mais forte de todo o ano, inaugurado na Vigília Pascal e celebrado durante sete semanas até Pentecostes. É a Páscoa (passagem) de Cristo, do Senhor, que passou da morte à vida, a sua existência definitiva e gloriosa. É a Páscoa também da Igreja, seu Corpo, que é introduzida na Vida Nova de seu Senhor por meio do Espírito que Cristo lhe deu no dia do primeiro Pentecostes. O Tempo Pascal compreende cinquenta dias (em grego = "pentecostes"), vividos e celebrados como um só dia: "os cinquenta dias entre o Domingo da Ressurreição até o Domingo de Pentecostes", concluindo, portando, com a vinda do Espírito Santo.A unidade da Cinquentenaé destacada também pela presença do Círio Pascal, aceso em todas as celebrações, até o Domingo de Pentecostes.São dias de Páscoa e não após a Páscoa. Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 170 - 07 de Abril de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 170 - 07 de Abril de 2015
Miryam e Yeshua
- Miryam e Yeshua têm quatro biografias, que são chamadas de evangelhos: o de Marcos, o de Mateus, o de Lucas e o de João. Marcos e Lucas não pertenciam ao grupo dos 12 discípulos, eles escreveram baseados num processo de investigação de pessoas que conviveram intimamente com Miryam e Yeshua. Essas biografias não são biografias no sentido clássico, como as que conhecemos hoje; porém, como os evangelhos retratam a história de Yeshua e Miryam, podemos dizer que representam as suas biografias. Todo teólogo deve ser um indagador inveterado, um aventureiro nas trajetórias do desconhecido e um questionador de tudo que se ouve. Investigar com critério aquilo que se vê e se ouve é respeitar a si mesmo e à sua própria inteligência espiritual. Se alguém não respeita a própria inteligência espiritual, não pode respeitar aquilo em que acredita.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 168 - 24 de Março de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 168 - 24 de Março de 2015
Sou um enigma
- A arte de pensar é a manifestação mais sublime da inteligência. Todos pensamos, mas nem todos desenvolvemos qualitativamente a arte de pensar. Por isso, frequentemente não expandimos as funções mais importantes da inteligência, tais como aprender a se interiorizar, a usar as dores para crescer em sabedoria, a trabalhar as perdas e frustrações com dignidade, a agregar ideias, a pensar com liberdade e consciência crítica, a romper as ditaduras intelectuais, a gerenciar com maturidade os pensamentos e emoções nos focos de tensão, a expandir a arte da contemplação do belo, a se doar sem a contrapartida do retorno, a se colocar no lugar do outro e considerar as dores e necessidades psicossociais.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 167 - 17 de Março de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 167 - 17 de Março de 2015
10º Mandamento - Não cobiçar os bens alheios
- A todos vocês, meus caros e amados filhos, por um período de nove terças-feiras, falei sobre aquilo que norteou inúmeras gerações antes e depois da minha vida terrena. Falei sobre o conjunto de regras que Deus nos colocou, para que pudéssemos ter a esperança do convívio de Sua presença. Hoje, finalizando minhas considerações sobre as Leis de Deus, desejo falar algo sobre o conceito de não cobiçar os bens alheios. A avidez em se apropriar das coisas que, por direito, não nos pertencem, ofende o décimo mandamento, porque prejudica o próximo, em seus bens terrenos. A razão nos leva a desejar o básico, mas a ambição desregrada leva à cobiça do que não é nosso, e isto imporá à comunidade a falta deste bem, gerará uma desordem social injusta e prejudicial. O coração invejoso é um coração empedernido e ele pode nos levar a ações indignas. É oportuno lembrar a vocês que foi pela inveja demoníaca que a morte existe na terra.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 166 - 10 de Março de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 166 - 10 de Março de 2015
9º Mandamento - Não desejar a mulher do próximo
- A cobiça da carne rebaixa o espírito, por isso Deus a proíbe. O ser humano é corpo e especialmente espírito, e a luta que se trava entre eles é consequência da perda da pureza, através do pecado da desobediência. A personalidade moral das pessoas reside naquilo que brota do coração, pois é dele que procedem todas as intenções humanas. Assim vocês, para verem a Deus, devem ser puros de coração, e a pureza deve provir do pudor que defende o íntimo do próximo. A concupiscência carnal desenfreada e voltada apenas aos prazeres materiais é indigna, humilha e explora o corpo humano.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 165 - 03 de Março de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 165 - 03 de Março de 2015
8º Mandamento - Não levantar falso testemunho
-Vocês devem agir como testemunhas das palavras de meu Filho, portanto, devem professar e defender a verdade. Eu afirmo a vocês: a verdade é a luz que inibe as trevas da mentira. Bem-aventurados os que entregaram suas vidas em testemunho da verdade e da fé. Meus queridos, é de suma gravidade falsear o testemunho e, quando isto é então feito sob juramento, configura-se o perjúrio e aí a injustiça é imposta ao justo, roubando-lhe o direito à liberdade; este ato inconsequente ofende a Deus nosso Senhor e prejudica a sociedade. Desta forma, Eu coloco em evidência que o respeito à verdade deve ser incondicional. Todos, sem exceção, têm direito à verdade, pois a mentira humilha o próximo e o torna sujeito a enganos e falsos julgamentos, e isto é um pecado que compromete gerações inteiras. A calúnia fere a reputação das pessoas e é uma ofensa ao Senhor, que nos criou para espelhar o amor e a caridade.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 164 - 24 de Fevereiro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 164 - 24 de Fevereiro de 2015
7º Mandamento - Não Roubarás
- Nestes últimos séculos, em que vejo sinais perigosamente materializantes no horizonte, é necessário lembrar a vocês que não é absoluto o poder dado por Deus aos homens sobre tudo o que foi criado por Ele. O que for inanimado e o que contiver vida sobre a terra, somente a Deus pertence o direito de administração, e ao homem é dada a graça de usufruir destes bens, com moderação, sempre tendo em vista a glória do Criador. O acúmulo de bens supérfluos lesa o próximo, perturba a paz social, promove a injustiça e contraria o que Deus ordenou: não roubarás! O domínio consciente da terra deve provir do trabalho humano com honestidade, e ele, por isso, torna-se um dever e um compromisso com todas as gerações..Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 163 - 07 de Fevereiro de 2015Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 163 - 07 de Fevereiro de 2015
6º Mandamento - Não pecar contra a castidade
- ada fere tão profundamente a dignidade da pessoa humana do que a castidade colocada em desordem moral. Deus é amor e, ao criar o homem e a mulher, colocou-os coesos, para que reconheçam, cada um, sua identidade sexual, dando-lhes dignidades individuais para que, guiados por este amor, possam crescer e se multiplicar. A castidade eleva a condição do homem e da mulher, e o estado de vida composto por ela personaliza aquilo que o Senhor Deus criou como regra básica para a vida afetiva, dentro dos limites das leis morais. Qualquer desvio destas condições constitui ofensa à castidade.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 162 - 27 de Janeiro de 2015 Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 162 - 27 de Janeiro de 2015
CARTA ENCÍCLICA
- FULGENS CORONA DO SUMO PONTÍFICE PAPA PIO XII INDICAÇÃO DO ANO MARIANO - A refulgente coroa de glória com que a puríssima fronte da virgem Mãe de Deus foi cingida por Deus mais nos parece resplandecer se recordarmos o dia em que, há cem anos, nosso predecessor de feliz memória, Pio IX, rodeado de um imponente cortejo de cardeais e de bispos, declarou, proclamou e definiu solenemente com infalível autoridade que a doutrina que defende que a beatíssima virgem Maria foi preservada de toda a man- cha do pecado original desde o primeiro instante da sua concepção, por singular graça e privilégio de Deus onipotente e em atenção aos merecimentos de Jesus Cristo salvador do gênero humano, foi revelada por Deus e que, por isso, deve ser admitida com fé firme e constante por todos os fiéis.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 161 - 20 de Janeiro de 2015 Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 161 - 20 de Janeiro de 2015
5º Mandamento - Não Matarás
- Somente ao Senhor nosso Deus pertence a vida, e qualquer ato que leva a interrompê-la é ilícito e constitui pecado grave. É necessário lembrar a vocês que todos fomos criados à imagem e semelhança de Deus, e que o assassinato é contrário à respeitabilidade da pessoa humana e, simultaneamente, ao amor do Criador? A raça humana está se deixando levar pela violência; vocês estão se tornando inimigos! Quando a desesperança se instala, instigada pelo Diabo, recorre-se ao suicídio, e Deus com isto é gravemente ofendido. Do aborto à eutanásia estende-se a imensa tragédia humana, onde delibera-se sobre aquilo que não nos cabe decidir, que é a vida. Do escândalo às guerras e corridas armamentistas; do ódio ao desejo de vingança, transgride-se, com insolência, a ordem do nosso Pai que está no Céu: não matarás!Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 160 - 13 de Janeiro de 2015 Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 160 - 13 de Janeiro de 2015
º Mandamento - Honrar Pai e Mãe
- A família, no plano de Deus, está fundamentada na continuidade da espécie humana, dentro dos princípios criados por Ele, para que sejamos estruturados e seguros do futuro. O que for alheio a este plano levará, inevitavelmente, à desarmonia social e espiritual. A caridade está implícita neste conceito, porque, ao honrarmos a quem devemos a vida, estamos respeitando Deus, que os investiu, para nosso bem, de toda a autoridade, e é desta forma que deve ser feita a vontade do Senhor nosso Pai. Nesta relação social e neste elo de amor contém toda a estrutura familiar, ou seja, nossos descendentes e o próximo, que merece nossa atenção e nosso respeito, como membro da família universal. Entretanto, antes de qualquer vínculo à família, que seja seguir a Jesus um direito fundamental do cristão, em pertencer à família do Altíssimo.Continue Lendo

Jornal Mãe Peregrina - Ano IV - Nº 159 - 06 de Janeiro de 2015 Jornal Mãe Peregrina - Ano III - Nº 159 - 06 de Janeiro de 2015
3º Mandamento - Guardar o Dia do Senhor - Guardar domingos e festas de guarda
- Deve existir tempo para tudo, e tempo para reverenciarmos as coisas do Céu é imprescindível que exista. A vida agitada leva vocês a se esquecerem desses momentos de conversa com o Senhor e, por causa disso, quantas coisas se perdem. Uma família que não acha tempo para o diálogo com o Céu, pelo menos uma vez por semana, será uma família desagregada desse convívio e, portanto, sujeita a toda sorte de problemas. Um pai e uma mãe que se deixam levar somente pelo burburinho terreno, não escutarão e nem permitirão a seus filhos que escutem os murmúrios do Santo Espírito de Deus, para direcionar suas vidas.Continue Lendo

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana