Judas (Jo 13,21-33.36-38)

Basílica de Lourdes, 26 de março de 2013

Naquele tempo, estando à mesa com seus discípulos, Jesus ficou profundamente comovido e testemunhou: “Em verdade, em verdade vos digo, um de vós me entregará”. Desconcertados, os discípulos olhavam uns para os outros, pois não sabiam de quem Jesus estava falando. Um deles, a quem Jesus amava, estava recostado ao lado de Jesus. Simão Pedro fez-lhe um sinal para que ele procurasse saber de quem Jesus estava falando. Então, o discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: “Senhor, quem é?” Jesus respondeu: “É aquele a quem eu der o pedaço de pão passado no molho”. Então Jesus molhou um pedaço de pão e deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes. Depois do pedaço de pão, satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: “O que tens a fazer, executa-o depressa”. Nenhum dos presentes compreendeu por que Jesus lhe disse isso. Como Judas guardava a bolsa, alguns pensavam que Jesus lhe queria dizer: “Compra o que precisamos para a festa” ou que desse alguma coisa aos pobres. Depois de receber o pedaço de pão, Judas saiu imediatamente. Era noite. Depois que Judas saiu, disse Jesus: “Agora foi glorificado o Filho do homem, e Deus foi glorificado nele. Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo e o glorificará logo. Filhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. Vós me procurareis, e agora vos digo, como eu disse também aos judeus: 'Para onde eu vou, vós não podeis ir'”. Simão Pedro perguntou: “Senhor, para onde vais?” Jesus respondeu-lhe: “Para onde eu vou, tu não me podes seguir agora, mas me seguirás mais tarde”. Pedro disse: “Senhor, por que não posso seguir-te agora? Eu darei a minha vida por ti!”
Respondeu Jesus: “Darás a tua vida por mim? Em verdade, em verdade te digo, o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes”

 

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO

"Jesus perturbou-se interiormente e declarou: 'Em verdade vos digo: um de vós me entregará.'"
Neste Evangelho em que Jesus anuncia a traição de Judas1, temos a oportunidade de observar que a força do Diabo é enorme e, apesar disso, menosprezamos essa força. Ele só não tem poder diante do sangue de Cristo. Vamos compreender melhor isto.
A última ceia estava próxima, tudo que haveria de acontecer estava em andamento. Aquilo que iria produzir o milagre do pão e do vinho já estava preparado. Ao lado de Jesus estavam a Igreja divina, representada por João, e a Igreja humana, representada por Pedro.
"Estava à mesa, ao lado de Jesus, o discípulo que Jesus amava.
Simão Pedro acenou para dizer-lhe: 'Pergunta-lhe de quem é que Ele fala.' Reclinando-se esse mesmo discípulo sobre o peito de Jesus, interrogou-o: 'Quem é, Senhor?'" Vimos que a Igreja humana pede à Igreja divina para perguntar a Jesus, isto porque ela fica sempre em dúvida diante do Cristo, diante de Sua humanidade. É ela que questiona, que fala, que procura a razão de tudo, que pede ajuda à Igreja divina, que possui aquele fio condutor entre a Igreja humana e Jesus.
Jesus, então, responde de uma forma impressionante. Poucos conseguem perceber o que existe por trás daquela resposta: "É aquele a quem Eu der o pão que vou emudecer no molho. Tendo embebido o pão, Ele o toma e dá a Judas Iscariotes, filho de Simão. Logo que ele o engoliu, Satanás entrou nele".
Jesus quis de fato dizer: É aquele a quem Eu der o pão molhado no molho e não no vinho. E entregou a Judas apenas o seu Corpo e não o seu Sangue; por isso Satanás entrou nele. Se Jesus tivesse molhado o pão no vinho, estaria dando a Judas o significado do Seu Sangue, e assim Satanás não entraria nele, pois sobre o sangue de Jesus ele não tem poder. Tanto o vinho como o sangue simbolizam a vida. Desta forma, Judas não entregaria Jesus, que por sua vez não redimiria a humanidade, e assim não seria glorificado. Jesus teria de ser entregue, para ser glorificado na cruz. Ele mesmo disse: "O Filho do Homem é agora glorificado e Deus foi glorificado nele."
Observamos que Judas estava perto do Cristo, participando da ceia, ao lado da Igreja humana e da Igreja divina, mas presente também estava Satanás, que aguardava o momento certo para entrar nele. Nisso vemos a sua força. Ele está no meio de nós, em nossa mente.
Precisamos estar sempre vigilantes, não podemos nos iludir, o diabo age nas pessoas sem que percebam, mesmo estando próximas de Jesus.Tudo isto faz parte do plano de Deus para a salvação da humanidade. E como Deus sabe da presença do demônio na terra, contou com
a sua participação, para que Jesus fosse entregue por Judas e glorificadona cruz, redimindo a humanidade.
Vimos a seguir que Pedro, a Igreja humana, aquela que questiona Jesus com insistência, torna a perguntar: "Senhor, por que não posso te seguir agora? Darei a minha vida por ti! Jesus lhe responde: 'Darás a tua vida por mim? Em verdade te digo: antes que o galo cante, amanhã tu me negarás.'" O próprio Jesus alerta a Igreja humana, por saber que ela o negaria. Isto, para nos mostrar que essa Igreja que questiona, que argumenta, que procura a Igreja divina para interceder por ela junto a Jesus é santa mas também pecadora.
Aprendemos aqui valiosas lições com Jesus. Quando Ele embebeu o pão no molho e não no vinho, dava a Judas uma comunhão consigo sem o sentido da graça, que é o Seu Sangue. O corpo sem o sangue não tem vida. Isto, porém, não tem relação com a prática da Igreja em distribuir a Eucaristia em uma só espécie: a Hóstia consagrada. Esta comunhão é plena, e torna-se mais plena nas duas espécies: pão e vinho.
1 Judas é a personificação do mal, do não, do negativo que tenta separar as Igrejas. Judas é a divisão na Igreja, inspiração de sua segmentação futura.

(explicação do Evangelho por Raymundo Lopes, extraído do Livro Código Jesus , p. 1 97-1 98)

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana