O Nascimento da Igreja (Marcos 9,30-37)

Basílica de Lourdes, 21 de maio de 2013

Naquele tempo, Jesus e seus discípulos atravessaram a Galiléia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho mdo Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão, mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”. Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar. Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “Que discutíeis pelo caminho?” Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior. Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse: “Quem acolher em meu nome uma dessas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas aquele que me enviou”.

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO

Neste Evangelho Jesus fala sobre o nascimento da Igreja. Jesus atravessava a Galiléia. Galiléia era o ponto que ligava Jerusalém a uma outra parte de onde vinha muita gente. Ligava aquele ponto central a uma porção de coisas. Portanto, se Jesus atravessou a Galiléia é porque Ele estava vindo daquela parte de Jerusalém. Ele estava atravessando todo aquele ponto de convergência, todo aquele ponto de união da Galiléia, mas para estar do outro lado. Jesus não queria que ninguém soubesse disso, porque ele estava aproveitando esta travessia, esse ponto de referência, para falar e ensinar aos discípulos sobre a Sua Igreja. Jesus reservava aquele momento para falar com os discípulos e por isso disse-lhes que queria conversar com eles e não queria que ninguém soubesse. Jesus disse-lhes que: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens e eles o matarão, mas três dias após a sua morte ele ressuscitará”. É claro que os apóstolos ficaram preocupados. Que idéia é essa do Cristo? Quem é esse Filho do Homem que vai ser morto e três dias depois vai ressuscitar? 
Esta atitude daqueles homens mostrava a Igreja que estava começando, estava verde e não estava conseguindo entender nada, ainda. Por isso que Jesus pediu que não queria muita gente com ele, queria conversar em particular com os discípulos. O choque de pensamentos entre o humano e o Divino foi esse: como entender que o Filho do Homem vai ser entregue, eles o matarão, mas três dias depois o terão de volta? É claro, a Igreja, que estava nascendo não entendeu. 
Eles chegaram em Cafarnaum. Estando em casa (interessante, Marcos é o único a colocar no evangelho que Jesus fala assim) quer dizer, no Céu, estando no Céu, três dias depois. Olha só como Jesus jogou a coisa prontinha para eles, o Filho do Homem vai ser entregue, eles o matarão, três dias depois ressuscitará. Depois estando no céu, quer dizer, estando em casa, quer dizer, Jesus, já no Divino, já naquela estrutura toda colocada como divino, Ele pergunta a Igreja: O que vocês estão discutindo? Isso é terrível! Se nós quisermos entender bem tudo isso vamos ver o Cristo Divinizado, o Cristo Glorioso dizendo: - O que vocês estão discutindo? Quer dizer que vocês, Igreja, estão discutindo comigo Divino, que conheço tudo! Percebo e sei muito bem o que vocês estão falando! Ali, naquele momento, eles estavam discutindo uma coisa crucial na Igreja de hoje, quem é a maior, a Igreja humana?
Jesus fez essa pergunta a eles e continua fazendo a mesma pergunta à Igreja hoje: - O que vocês estão discutindo? Eles responderam: - Nós estamos discutindo quem é o maior na Igreja, quem é o Bispo, quem é o Cardeal quem é o padre, quem é o sacristão, quem reza Ave-Maria, quem não reza! Quem defende a Eucaristia, quem não defende! É isso que estamos discutindo. Nós queremos saber qual o nosso lugar na Igreja humana. 
Jesus sentou-se, chamou os doze, quer dizer, chamou a Igreja e disse-lhe que ”Se alguém quiser ser o primeiro que seja o ultimo de todos e seja aquele que serve a todos”. Jesus estava falando que, Se eles traçarem uma linha de várias formas, o primeiro no ponto inicial da linha coloca-se primeiro e, no traço do meio daquela linha, é a morte, quer dizer, a Igreja humana caminha e ela atravessa pela morte e vai dar de cara com a Igreja divina não é isso? Não tem jeito porque do outro lado você acerta ou você estraga tudo. 
Então nesse caminhar da Igreja humana nesse ponto de convergência do nosso nascimento até a morte, todo mundo quer ser o primeiro, mas esse primeiro termina na morte, não tem jeito, a morte é o ponto de referência onde termina todos os viventes. Então por isso que Jesus falou assim: “Se vocês quiserem ser os primeiros, sejam os últimos”. Porque, naquele ponto da morte, será o primeiro na vida eterna. É muito fácil de entender isso! Se você quer ser o primeiro, seja o ultimo aqui para você ser o primeiro na linha de convergência da Igreja Divina. Você nasce, você quer ser o primeiro, não fica preocupado, seja o primeiro na hora da morte que, às vezes, sairá como o primeiro na igreja Divina, é isso que Jesus esta falando. 
Em seguida, Jesus pegou uma criança no meio deles, quer dizer, pegou a Igreja pequenininha nascendo no meio deles, colocou-a no colo e, abraçando-a, fala assim: “Quem acolher em meu nome uma dessas crianças é a mim que está acolhendo”. Se vocês acolherem essa Igreja que está nascendo no meio de vocês, é a mim que estão acolhendo. E depois ele completa: “Quem acolher esta criança, esta acolhendo não a mim, mas aquele que me enviou”. Jesus, aqui, nos dá a característica da Igreja nascendo.
Nesta parte do Evangelho de Marcos é Jesus falando sobre a Igreja nascente e mostrando como devemos agir. Nessa linha do meio da morte se você é o primeiro, até lá você será o último. Seja o último aqui, para ser o primeiro lá, porque o Divino vem ao contrario do humano. Ele vem contra a morte. Nós primeiro precisamos morrer para iniciar uma vida, você não inicia primeiro se você for o primeiro no início. Se você é o primeiro no início como que você vai chegar a ser primeiro na hora da morte! Você terá que fazer o contraria, seja o último, nascendo primeiro aqui, que aí, você poderá ser o primeiro lá, caso contrário, não tem jeito. É muito simples este Evangelho, basta observar direitinho o que Jesus está falando sobre o nascimento da Igreja. Quem acolher esta criança, quem acolher isto que estou falando, estará me acolhendo. E quem acolher dessa forma estará acolhendo a meu Pai que esta no céu. 
Jesus está colocando muito claro aqui, que nós temos que respeitar e entender a Igreja divina, a Igreja humana, enfim toda Igreja.

2007 @ Todos direitos reservados para o SIM-Serviço de Informação Mariana